Descobrir
Comece uma coleção Pesquisar

Poesias de um Gavionense

1 contribuíram 1 estão participando

Ver mais posts

betinhogpx

Publicado há 2341 dias - 0 estrelas

Premiar

PANGÉIA

Estou triste hoje, não me pergunte o porquê.

Parece que li um poema de Manuel Bandeira,

Parece até que, completamente, me esqueci.

Nas esquinas as pessoas questionam o etanol,

Não entendem a taxa de câmbio, resmungam;

Passam testemunhas de Jeová e pregam beabá,

Mas o paraíso não nos resolve a inflação, como?

Um bêbado que se atropela cantarola o Cartola;

Ele fala da flor que rouba o perfume da amada,

E me lembro da rosa, triste rosa de Hiroshima;

Culpa dos jornais que relatam radiação no Japão,

E terremotos e tsunamis e ditadores que caem.

No entanto, tento e anseio ser alheio a tudo isso,

Apago a luz, deito-me e sonho com a Pangéia,

Como Drummond, sou anterior a fronteiras!

DANTE SULLIVER

DANTE SULLIVER

Comentar
Crie sua coleção de placas