Descobrir
Comece uma coleção Pesquisar

DO POETA JOÃO BARBOZA

1 contribuíram 2 estão participando + Informações

participate Deixe de participar Participating
contribute Contribua

DO POETA JOÃO BARBOZA

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
IN VINO VERITAS

IN VINO VERITAS.


In
Vino.
Veritas.
Cada um com sua verdade possível/
Pausa da água em nossa dose.
Abraço o tempo com mãos de silencio.
Há um gosto de vento na sua boca.Nada que não me provoque vendavais.
O tempo encosta na árvore e espia seus passos.
A lua na tua pele tem a cor de marshmallow
Que passam por mim.E brincam de pique-esconde.
No feérico que a luz segreda,
Promessas de sol.
Me despeço do cansaço selado com uma esperança vã.

joao barboza

Comentar
Crie sua coleção de placas

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
Eu mapeei teu corpo e estou pronto para qualquer prova

Eu mapeei teu corpo e estou pronto para qualquer prova. Te conheço palmo a palmo ou por regiões, com toda e qualquer característica pagã. Eu, disse na terapia de grupo, que eu sei mais de você do que de mim, e propus abordar você prá distribuir minha tese.
O Amor dói, quando queremos tratar da longevidade, até porque ele existe para ser consumido até que se esgote ou se renove o tempo de validade. O que passar daí é costume.O que passar daí, é saudade, que ataca em hora errada e reacende o fogo com paixão.
Quando nós não formos mais que a nossa insanidade, o racional nos cobrará coisas que provavelmente,não daremos a mínima. Então, enquanto os parâmetros forem outros e o ridículo não estiver em questão, que tal de novo aquele som do Wando. E a letra a gente já canta de cor...
A lua nos reprime por querer decodificar seus encantos, em vez de aproveitar o luar, que é dos namorados. Ah, deixa a lua para os poetas, que o amor se estica até que o elástico do destino nos alcance e nos ponha cara-a-cara com a continuidade.Ou não.Ou não. João Barboza

joao barboza

Comentar

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
Aranhas ajudam a tecer o dia

Aranhas ajudam a tecer o dia
E costuram em algum ponto
Um zig-zag
Para prender a luz na alvorada
É um exercício específico
de paciência
de ciência
de nada.
É a comprovação
Da ação
Que um macramê expõe em
Encanto, certeza.Como se partitura fosse
De algum canto. da natureza.

joao barboza

Comentar

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
DESENCONTRO

DESENCONTRO.

Ouço batidas. Olho pra porta à espera de algum sinal seu e sou apresentado ao corredor, branco e amedrontador. Volto, espio no olho mágico e vejo sua ausência com gosto de uísque falso. Na janela só vultos, acortinados pela madrugada que te esconde e me deixa fulo da vida.Eu não resisto mais; como uma bolacha Maria, um resto de miojo, tomo a coca-cola no gargalo. Ligo a tevê, corro até a janela e grito um palavrão, que em outra circunstancia seria elogio. Vagueio sobre minha presença. Alguma parte de mim sai pela noite à sua procura.Outra parte sai pra comprar cigarros. E é nunca, que eu me encontro.

João Barboza

Comentar

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
Eu quero dar um grito

Eu quero dar um grito
Que ressoe pelos prédios mais altos da cidade,
Recaia sobre as casas e espaços vazios:
Pichei o amor pela cidade!!!!!!!!!!!!
Ficou meio amador, meio tosco
Mas o momento era de demarcar espaço e
Em meio a tanta sujeira, tantos lados escuros, eu achei
Que tinha que impor um pouco de amor. Ainda que fosse com pouca tinta.Passei no outro dia, alguém já tinha apagado.
O amor anda sem espaço nas telas urbanas.

(João Barboza)

joao barboza

Comentar

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
Bebo uma saudade guardada

Bebo uma saudade guardada
Numa mensagem dentro de uma garrafa
De vinho francês, que comprei numa liquidação
Destas de ocasião.
Era como se eu mesmo quisesse dizer pra mim
Da saudade, que eu tenho de um tempo em que
Tinha a felicidade como algo mais simples e mais à mão.
Com o galopar dos anos
atropela a sensação de que a felicidade passou a ser uma coisa
Muito mais sofisticada, que só é permitida a alguns que não eu.
Virou água de fonte de não mais se beber com a mão.
Então, eu quero desconstruir essa barreira
Imposto por mim, descalço, num dia de tempestade,
Tomando um banho de chuva, como se eu tivesse, lavando o que tenho de mais dispensável, em busca de alguma essência.Minha.

(João Barboza)

joao barboza

Comentar

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
Onde você andou esse tempo todo  em que se esqueceu de me achar? Eu passei ta...

Onde você andou esse tempo todo, em que se esqueceu de me achar? Eu passei tanto tempo só olhando para as paredes, chorando com as letras do Chico, às vezes de dor, às vezes de inveja dos personagens. Quantas vezes troquei de lugar. E eu cria que aquilo era possível, mas faltava um engate, faltava um plus, faltava uma poesia. Gastei muito do meu tempo em amores possíveis, óbvios, meia-boca. Desperdicei tanto carinho em abraços passageiros, sem saber que num momento desses, eu tropeçaria na sua alegria incompleta, somada ao meu sorriso bobo e tudo era tão bobo, que caímos de quatro, que nem dois bobos.
Ah, mas aí parecia bobeira, porque o amor é bobo. Até quando ele serve aos mais inteligentes, prenhes de teoria, racionais até.Nada, no amor todo mundo faz papel de bobo.Ai,meu Deus, como o amor é bobo.
Aquele gesto mais simples, aquela mania mais elementar, aquela música, aquela música! O primeiro encontro, a comida preferida, a cor, o primeiro beijo, a tatuagem, a praia...
O tempo conta de um jeito bobo, a espontaneidade do sorriso é de bobos. Os beijos, a língua que se pratica sussurrando, os olhares, ah tudo leva prá bobice. E ai, de quem não percebeu, esse conseguiu provar que não é bobo. É o quê?

João Barboza

Comentar

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar

Tenho me debatido constantemente com meus vários eus, e mais que tudo tenho me superado, na medida que eles se vêem e não se reconhecem.
O que mais tenho de meu mais verdadeiro, são as dúvidas, que arquivo num canto qualquer de mim.
Quem sou eu? Sou a criatura inacabada, que perfeita para os erros, se cerca de acertos, qual uma barreira e me apresenta como uma certeza em formação. Certo? Sei lá, tem hora que eu não respondo por mim.

João Barboza

João Barboza

Comentar

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
Eu quero estender um varal

Eu quero estender um varal
Onde prenda nos pregadores todas as minhas dores como roupas brancas, coloridas, jeans, calcinhas, cuecas, toalhas, meias, camisas, blusas. Depois quero me afastar, como se aquela roupa jamais tivesse sido minha um dia.
Eu ainda perco tempo tentando me impor exercícios de compreensão sobre nós. Só me machuco mais quando lembro da sua grande capacidade de me ferir.E nisso você se supera.
Eu quero lavar minha boca com água sanitária se ousar pronunciar seu maldito nome.
Cansei, meu tempo é precioso, e é de quem o merece. Se não fosse feio, ia mandar você se fuder, babaca!

João Barboza

Comentar

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
Eu não dou a ninguém  como dou a você  a ousadia de falar de mim  Meu Endereç...

Eu não dou a ninguém, como dou a você, a ousadia de falar de mim... Meu Endereço, é em você.
A você, eu dou todos os indultos, todas as permissões, todas as certidões, e eu tenho completa sensação de amor em você. Em cada toque me reconheço em cada gozo me estremeço e isso findo, é como se você assinasse o prazer em meu corpo, naquelas balelas de ouvir sinos (ou buscá-los, onde quer que eles estejam) e arranhar estrelas.
Eu moro em você, como você mora em mim e isso não dá espaço para psicologias; porque é. Não há Freud, que nos reconheça, Lacan ou quejando que nos decifre. Nós somos espumas de nós mesmos. Se nosso amor faltar um dia, vai deixar um buraco maior que a ação de um Tsunami, mas que aproveitem o buraco, enquanto nos resta essa saga de siameses que se devoram.
Que se guardem as teorias, nos basta à prática de alpinismo dos corpos, as tatuagens produzidas pelo nosso fogo, a água que produzimos pelo puro prazer, alimentados pela luxúria de um pecado original.
Eu te oficializo na hora em que grito seu nome, a partir daí é a remontagem, com interferência do tempo, esse vilão, que nos põe em outro plano. Você não sabe do que nós somos capazes ? Duvidar, quem há de...

João Barboza

Comentar

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
Fecha os olhos e confessa que não consegue me esquecer nem quando está de olh...

Fecha os olhos e confessa que não consegue me esquecer nem quando está de olhos vendados. Eu tenho o direito de passear pelos teus olhos, roçar a pele dos teus lábios, provar o desenho da fibra da tua língua, sussurrar em teu ouvido. Eu invado e mesmo onde não me é permitido, entro.E me instalo.E quem quiser que reclame no sentimental, tenho todas as permissões assinadas pela tua pele. Na tua paixão, tem o meu olho em qualquer situação. Se quiser me submeter a exames, estou pronto.

João Barboza

Comentar

joaobarboz

Publicado há 1777 dias - 0 estrelas

Premiar
Que olhos

Que olhos
me impedirão
Quando eu fugir
Pra dentro de você
De barco, de trem,
De sonho
Correndo como Usain Bolt
Driblando como Neymar
Qualquer sinal de incerteza
Deitando no colo da
Sua beleza
Que é a minha melhor arquibancada.
Amada.

João Barboza

Comentar