Descobrir
Comece uma coleção Pesquisar

Santo do Dia

1 contribuíram 3 estão participando + Informações

participate Deixe de participar Participating
contribute Contribua

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 496 dias - 0 estrelas

Premiar
Nossa Senhora sempre foi reconhecida pela Igreja Católica com Rainha

Nossa Senhora sempre foi reconhecida pela Igreja Católica com Rainha. É proclamada, pela Igreja, Rainha por doze vezes: Rainha dos anjos, dos patriarcas, dos profetas, dos apóstolos, dos confessores, das virgens, dos mártires, de todos os Santos, do Santíssimo Rosário, da paz, concebida sem pecado original e levada aos céus.
Ainda é proclamada Rainha de Misericórdia, pois seu maior exemplo é pois seu trabalho é exercer a compaixão e alcançar o perdão de Deus para os homens. Parece ter a função de repartir os tesouros da misericórdia de Deus.
É festejada em 22 de agosto e em nossos coracoes todos os dias.

Comentar
Crie sua coleção de placas

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2095 dias - 0 estrelas

Premiar
17 de Março

17 de Março

S. Patrício

Todos já ouvimos falar da Catedral de São Patrício (Saint Patrick), de Nova York. Mas poucos se lembram que ele está profundamente ligado à Irlanda. E a Irlanda toda fala deste Santo.

São Patrício (386-493) nasceu na Grã-Bretanha e, com 16 anos, foi capturado e vendido com escrevao para a Irlanda. Seis anos mais tarde, conseguiu escapar e voltar à sua terra natal. Começou então uma vida religiosa e regressou à ilha onde tinha vivido para a evangelizar. Tornou-se apóstolo, como padre e bispo, de toda a Irlanda. Além de converter os chefes dos diversos clãs, ele ainda criou os mosteiros, como centros de irradiação do cristianismo e da cultura. Converteu centenas de pessoas, muitas delas se tornaram monges, missionários por toda a Europa.

Para explicar como a Santíssima Trindade era três e um ao mesmo tempo utilizava o trevo de três folhas e por isso o mesmo tem papel importante na cultura Irlandesa. Foi incentivador do modo particular de se celebrar o sacramento da Confissão, tal como o conhecemos hoje, visto que antes o mesmo era realizado de forma comunitária. Um século mais tarde essa prática se propagou para o restante da Europa.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2096 dias - 0 estrelas

Premiar
Santa Eusébia

Santa Eusébia
16 de Março

Pertenceu a uma família de muitos santos. Com oito anos seu pai, Santo Adalberto, faleceu. Sua mãe, chamada a uma vida de entrega total a Deus, montou um convento e quis a sua filha junto. Sua avó Gertrudes também a chamou para a vida religiosa em Hamage (França), e ela aceitou.

A mãe, Santa Riertrudes, soube que Eusébia seria a Abadessa após a morte de sua avó. Então fez de tudo para ela ser bem formada antes, pois tinha apenas 12 anos. E foi para junto de sua mãe, mas às vezes escapava para a comunidade de Hamage (França), onde percebia ser o seu lugar.

Riertrudes repensou, e após se aconselhar com bispos e abades liberou sua filha para voltar e ser Abadessa, talvez a mais jovem da França.

Eusébia pressentiu que não duraria muito por aqui. Com apenas 23 anos reuniu suas filhas espirituais, e deu-lhes vários conselhos. Depois, esperou a morte de maneira calma e confiante. Isso no ano de 680.

Santa Eusébia, rogai por nós!

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2097 dias - 0 estrelas

Premiar
15 de Março

15 de Março

Santa Luísa de Marillac

Santa Luíza de Marillac ficou órfã aos 14 anos. Pretendia seguir a vocação religiosa, porém por vontade de seus parentes casou-se e teve um filho.

Passou por grandes dificuldades no casamento devido a problemas financeiros e a longa enfermidade do marido. Os contactos com São Francisco de Sales ajudaram-na então a enfrentar esse período.

Em 1625, o marido morreu, seu filho ingressou no seminário e ela tornou-se religiosa.

Santa Luíza teve a felicidade de conviver com pessoas especiais. Além de São Francisco de Sales, a quem conhecia desde 1618, conviveu também com São Vicente de Paulo, cujo encontro determinou novos rumos em sua vida.

Santa Luíza foi co-fundadora das Filhas da Caridade. São Vicente dizia às Filhas de Caridade: "Vocês têm por mosteiro, a casa dos enfermos; por cela um quarto alugado; por capela, a igreja paroquial; por claustro, as ruas da cidade; por clausura, a obediência; por grade, o temor de Deus; por véu, a santa modéstia".

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2099 dias - 0 estrelas

Premiar
Santos Rodrigo e Salomão

Santos Rodrigo e Salomão

13 de Março

Pertenceram ao bispado de Córdova. Rodrigo tornou-se um sacerdote muito zeloso na busca da santidade e cumprimento dos seus deveres, em um tempo onde os cristãos eram duramente perseguidos.

Seus irmãos de sangue começaram uma contenda, a qual tentou apartar. Não compreendendo tal ato, um deles o feriu, deixando-o inconsciente. Aproveitou então para difamá-lo, espalhando que o sacerdote Rodrigo tinha renunciado a fé cristã. Um escândalo foi gerado e o caluniado refugiou-se numa serra, em oração e contemplação, indo a cidade somente para buscar alimentos.

Numa dessas ocasiões, o irmão agressor resolveu denunciá-lo. Ao ser questionado pelo juiz, Rodrigo declarou: “Nasci cristão e cristão hei de morrer”.

Foi preso, e ali na cadeia conheceu outro cristão, Salomão. Ambos transformaram a cadeia num oratório, travando uma linda amizade. Ameaçados e questionados, não renunciaram a fé. Foram separados, mas permaneceram fiéis a Deus. Condenados à morte, ajoelharam-se, abraçaram o crucifixo e degolados, foram martirizados.

Santos Rodrigo e Salomão, rogai por nós!

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2101 dias - 0 estrelas

Premiar
Santo Eulógio

Santo Eulógio
11 de Março

Nascido em Córdova, Espanha, no século VIII, descobriu seu chamado ao sacerdócio e fez um ótimo caminho formativo, também nas áreas da ciência, aprofundando-se nas ciências teológicas.

Era um homem de muito estudo, oração e amor.

A Espanha foi afetada por invasões e o príncipe perseguia cruelmente a Igreja, prendendo e matando a muitos cristãos.

São Eulógio deixou muitos escritos, com testemunhos de mártires e santos, assim como obras apologéticas e a 'Exortação ao martírio', que escreveu na prisão.

Ele foi decapitado no dia 11 de março de 859, recebendo a coroa da vida imortal.

Santo Eulógio, rogai por nós!

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2104 dias - 0 estrelas

Premiar
08 de Março

08 de Março

S. João de Deus


"É pelo fruto que se conhece a árvore." Mt 12,33b

O Santo de hoje é muito conhecido, sobretudo no mundo português. É São João de Deus, português, nascido em Montemor-o-Novo (1495) e falecido em Granada (Espanha, a 8 de Março de 1550).

De seu nome João Cidade conta-se que, tendo transportado aos ombros um menino andrajoso que com dificuldade se deslocava, este lhe mostrou uma granada ou romã, com uma representação da Santa Cruz e, referindo-se à cidade espanhola com esse nome, lhe disse: "Granada será a tua Cruz". A seguir desapareceu.

A primeira parte da vida deste santo foi marcada por aventuras, algumas até curiosas.

Abandonou a casa paterna aos oito anos. Fez-se soldado. Trabalhou em hospitais, como simples servente. Foi criado e comerciante. Manteve um pequeno negócio de livros. Ouvindo um sermão de São João d' Ávila sentiu-se tocado. Desfez-se de todos os seus bens. Reuniu esmolas e foi cuidar de doentes, especialmente dos loucos e dos incuráveis. Entre eles, como ele próprio conta, havia paralíticos, leprosos e até mudos. "Nas horas difíceis - dizia João de Deus - é Jesus Cristo quem provê tudo e dá de comer aos meus queridos doentes".

Mantinha ele mais de oitenta hospitais, que fundara só em Espanha. Por isso, tornou-se também o Fundador dos Irmãos dos Enfermos. E foi declarado patrono dos hospitais por Leão XIII.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2105 dias - 0 estrelas

Premiar
07 de Março

07 de Março

Santa Perpétua e Santa Felicidade

"Por tuas palavras serás justificado e por tuas palavras serás condenado" (Mt 12,37).
Hoje veneramos duas Santas que encheram a antiguidade cristã de entusiasmo e de esperança. Apesar de pertencerem a tempos tão antigos, Santa Perpétua e Santa Felicidade são celebradas por uma peça literária de comovente beleza. O caso chamou a atenção pelo seu aspecto humano e também pelo espiritual. Santa Felicidade era escrava e estava grávida de oito meses. Santa Perpétua, da mais alta nobreza, também trazia um filhinho ao colo.
O pai suplicava-lhe que não desse a vida por Cristo, em vista de tantas coisas boas que ela poderia ter na existência. Mas, apesar de jovens, a escrava e a nobre deram a vida por Cristo e prepararam uma comunhão profunda entre todos aqueles que aceitavam o Evangelho.
É sobretudo deliciosa a descrição que fala da chegada de ambas à eternidade. Poucas vezes um escritor chegou a usar tão bem a sua fantasia e também dados da fé, para mostrar como se encontram as grandes almas com Deus, que é Pai de toda a grandeza e nobreza.
Mesmo os mais jovens, quando possuem a fé, são capazes de vencer imperadores, reis e transformar o mundo.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2106 dias - 0 estrelas

Premiar
06 de Março

06 de Março

Santa Rosa de Viterbo

Santa Rosa de Viterbo nasceu em 1234, em Itália, numa família modesta.

O seu tempo foi marcado por divergências entre o Estado e a Igreja. Imperava na época Frederico II que ao receber a coroa de Honório II, não manteve a promessa feita pelo mesmo de devolver à Igreja os bens usurpados. As desavenças perduraram entre Frederico II e os papas Gregório IX, Celestino, Inocêncio IV e assim sucessivamente.

Frederico II morreu em 1244 e nessa mesma noite Rosa de Viterbo teve uma visão de Nossa Senhora indicando que ela deveria consagrar-se a vida religiosa. Apesar de sua pouca idade, Rosa exortava os concidadãos à conversão, amor à Igreja e à fidelidade a Cristo. As suas pregações foram encaradas como discursos políticos ocasionando o exílio de sua família. O exílio durou pouco tempo e logo que retornaram, Rosa procurou o convento das Clarissas para nele ingressar. Há controvérsias quanto ao fato de Rosa ter ou não conseguido ingressar nessa Ordem Religiosa.

A sua vida foi marcada por fatos extraordinários e, ao morrer, o seu corpo permaneceu intacto por vários séculos, resistindo até mesmo a um incêndio que consumiu o seu caixão. Aos 18 anos de idade, Rosa de Viterbo contrai uma doença que a leva para o paraíso em 1252.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2108 dias - 0 estrelas

Premiar
04 de Março

04 de Março

S. Casimiro

Filho da rainha Isabel da Áustria e de Casimiro III, da Polônia, S. Casimiro nasceu em Cracóvia no dia 5 de Outubro de 1458. Renunciou ao reino da Hungria, colocando os interesses da Igreja acima de seus direitos como legítimo sucessor húngaro. Recusou casar-se também com a filha de Frederico III, opondo-se à sede de domínio do pai, desejoso de ampliar o império. Era um homem de profunda paz, serenidade, alegria e cordialidade. Os polacos chamam-lhe pacificador porque tudo fez para manter a paz, evitando com determinação as guerras fratricidas. Devotava estima especial aos pobres considerando-os membros de Cristo. Tuberculoso, morreu aos 25 anos em Grodno, Lituânia, no dia 4 de março de 1484. Em 1521 foi canonizado. É o padroeiro da Polónia e da Lituânia.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2109 dias - 0 estrelas

Premiar
03 de Março

03 de Março

Beato Inocêncio de Berzo

O Beato Inocêncio era filho de Pedro Scalvinoni e de Francisca Poli. Nasceu no dia 19 de Março de 1844 em Nardo, Vale de Canónica, em Bréscia, na Itália. Foi baptizado com o nome de João.



A sua infância ficou marcada pelo sofrimento, ficou orfão de pai, e pela prática da virtude, como aluno do Colégio de Lovere. Foi admitido no Seminário diocesano de Bréscia e foi ordenado sacerdote a 2 de Julho de 1867. Foi nomeado Coadjutor de um pároco, em Cevo, onde se distinguiu pelo desapego das coisas materiais, assiduidade no confessionário, caridade para com os pobres, assistência aos doentes e pregação.



O Bispo chamou-o para Bréscia a fim de desempenhar o cargo de Vice-Reitor do Seminário. Após um ano, voltou para a cura das almas como pároco em Berzo, onde se entregou a uma intensa actividade apostólica, feita de oração, bom exemplo e uma pregação simples e paternal, bem como de uma proximidade pessoal junto de cada um para os levar até Deus. Entretanto, o Senhor chamava-o a uma vida mais perfeita. Depois de uma luta espiritual, pediu para ser capuchinho, quando tinha 30 anos. Em 1874, vestiu o hábito da Ordem, recebendo, nessa altura, o nome de Frei Inocêncio. Viveu em Albino. Depois, foi para o Convento da Santíssima Anunciata, como Vice-Mestre de noviços. Em 1880, foi-lhe confiada a redacção dos Anais Franciscanos, em Milão. Partiu para Crema, levando, por toda a parte, o brilho da sua santidade. Foi colocado outra vez no Convento da Santíssima Anunciata, onde encontrou aquilo que o seu espírito desejava: ser santo!



No ermitério do Convento, encontrou forma de se submergir na união com Deus que era própria do seu temperamento, de saciar a sua ânsia de sacrifício, de penitência e vida escondida. O seu ideal era desaparecer e fazer que o esquecessem, o exercício de prolongadas horas de oração e contemplação, o desempenho dos mais humildes serviços do Convento, tais como: pedir esmola de porta em porta com a pregação do bom exemplo e de boas palavras. A beleza da sua alma transparecia em todas estas manifestações. Pregou exercícios espirituais aos seus irmãos, a quem inundava com a abundância do seu espírito seráfico. Neste ministério da pregação teve de fazer muita violência sobre si mesmo, sobretudo, porque não se considerava capaz de coisa alguma. Morreu com 46 anos de idade, no dia 3 de Março de 1890, na enfermaria do Convento de Bérgamo, quando estava a pregar um retiro aos seus irmãos.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 2110 dias - 0 estrelas

Premiar
02 de Março

02 de Março

Santa Inês de Praga

Santa Inês de Praga, nasceu em 1208. Pertencia à família real, pois Otocaro I, seu pai, era rei da Boémia. Educada por monges, recusou-se a casar com Frederico II, imperador da Alemanha, contando para isso com o apoio do papa Gregório IX. Foi uma mulher activa e preocupada com os problemas de seu tempo. Dedicou-se de corpo e alma ao serviço dos pobres, fundando para eles um hospital, onde se estabeleceu em pobreza absoluta, renunciando às rendas e vivendo de esmolas e doações.

Incentivou e apoiou os Franciscanos e as Clarissas, para quem fundou dois mosteiros. Santa Clara, a quem devotava grande amizade, chamava-a de "metade de minha alma". Ingressou, mais tarde, no convento das Clarissas, por ela própria fundado, onde foi nomeada abadessa. Morreu no dia 2 de Março de 1282 em Praga, onde nasceu.

Comentar