Descobrir
Comece uma coleção Pesquisar

O Novo Testamento dos Espiritas

1 contribuíram 3 estão participando + Informações

participate Deixe de participar Participating
contribute Contribua

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 494 dias - 0 estrelas

Premiar

Os Dez Mandamentos são o Código Divino e Jesus veio para vivê-lo e não para derrogá-lo, a fim de Se constituir o Divino Modelo. Só é cristão quem vive a Lei de Deus através dos Divinos Exemplos de Jesus Cristo.
O Primeiro Mandamento ordena adorar ao Único Deus, em Espírito e Verdade; o Segundo Mandamento manda não fazer imagem alguma para adorar; o Terceiro Mandamento determina que se não tome o nome de Deus em vão; os outros Sete Mandamentos dizem respeito à conduta entre irmãos, lembram a decência no trato social.
Para a Lei e para Jesus Cristo não existem religiões, mas sim verdades e virtudes para serem conhecidas e realizadas; e fora da Verdade e da Virtude nada de recomendável há perante Deus. Religiões, clerezias, fantasias, dogmas, simulações, sacramentismos, liturgias, engodos e comercialismos religiosistas, tudo isso representa caminhos que conduzem às trevas, onde há pranto e ranger dos dentes.
Portanto, generalizando altos e baixos, vamos defrontar este questionário:
19 - Sabendo eu que o Bolso, o Estômago, o Sexo, o Orgulho e o Egoísmo, são as feras que devemos procurar controlar, a fim de podê-las dominar, viverei de fato bem a tão elevado ministério?

Comentar
Crie sua coleção de placas

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

237 -
“O que é impossível aos homens é possível a Deus” - Lucas, cap. 18.
Muito difícil seria, para quem saiu da Escola de Profetas de Israel, ou do Cenáculo Essênio, fazer-se compreender; e muito mais ainda, seria a um Cristo Planetário falar ao povo de uma tal época, sobre as leis através das quais Deus rege os mundos e as vidas. Porque a Deus tudo é possível através de leis, enquanto que, naqueles dias, o povo estava longe dos conhecimentos iniciáticos, das verdades simples que as Escolas Iniciáticas ensinavam.
Como fosse a função missionária de Jesus, abrir as portas dos Cenáculos Esotéricos, ou generalizar o Consolador, ou Ministério do Espírito Santo, deixou dito que este faria, no curso dos tempos, o serviço de esclarecimento. Entretanto, Roma corrompeu a Excelsa Doutrina, desviando o curso dos ensinos. Se não voltasse Elias, com o encargo de comandar a reposição das coisas no lugar, o profetismo continuaria desaparecido e a humanidade iria chafurdando cada vez mais na idolatria e no materialismo, na ignorância e na brutalidade.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

236 -
“Ninguém é bom, senão Deus” - Lucas, cap. 18.
O moço rico, o homem de qualidade, chamou Jesus de bom, e Jesus o advertiu daquele modo. Outra vez Jesus afirma, por essa Sua expressão, que não era Deus e sim um filho cristificado, unido vibratoriamente.
Querer transformar Jesus em Deus, ou cada um dos Cristos Planetários em Deus, é um absurdo; é mais do que absurdo, quando se sabe que foi forjado pelo romanismo, para ensejar a seus beleguins idólatras e mercenários, a oportunidade de passarem por Seus ministros, sujeitando reis e povos ao imperialismo despótico e sanguinário de Roma.
Como exemplificador da Lei de Deus, para ficar como Divino Molde, Jesus lembrou ao moço rico a execução da Lei. E repisou o conceito de que as riquezas do mundo são prejudiciais à realização do Reino do Céu, que é interior.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

235 -
“Mas quando vier o Filho do homem, julgais vós que achará ele alguma fé na Terra?” - Lucas, cap. 18.
Depois de pronunciar a parábola do Juiz Iníquo, para lembrar a necessidade de estar sempre em contato com Deus, através de pensamentos, sentimentos e obras, Jesus disse aquilo que está acima transcrito. Representava, no momento, a Sua opinião sobre os homens. E as coisas mudaram, de lá para cá?
Ele sabia que o Consolador seria barrado e a ignorância clerical dominaria a humanidade, chafurdando-a no materialismo brutal.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

234 -
“E tudo que vós desatardes sobre a Terra será também desatado no céu” - Mateus, cap. 18.
Outra horrível adulteração, feita por aqueles que no quarto século forjaram uma religião com o fito de proteger um império decadente, despótico e sanguinário. Jesus nunca Se disse primogênito de Deus, unigênito de Deus, igual a Deus na individualidade nem perdoador de pecados. Jesus sempre disse que o Pai vê em secreto e em secreto dá a paga, segundo as obras. A Lei de Deus e a Sua Justiça Absoluta jamais estarão sob as medidas relativas de Seus filhos. Naturalmente, os filhos mais evoluídos fazem o serviço de servi-Lo, servindo assim a seus irmãos menos evoluídos. E a prova todos poderão ter, observando que os verdadeiros grandes mestres das coisas espirituais deram provas de sua elevação, mas tiveram de se sujeitar a sofrimentos e martírios. Foram servos e não senhores da Lei! Para serem senhores da Lei, teriam que ser senhores de Deus.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

233 -
“Barrabás” - João, cap. 18.
Na adulteração dos textos fizeram Barrabás passar por um simples ladrão; o certo, entretanto, é que fora um dos chefes da revolta que fracassara. Como os sacerdotes, escribas, fariseus e anciãos do povo sabiam disso, e estavam terrivelmente desejosos de liquidar com Jesus, valeram-se da oportunidade que tiveram, através do ato leviano, mais leviano que traidor de Judas, para soltar o comparsa de revolta e liquidar com Jesus. E assim fizeram, diante do mundo, assumindo tremendo compromisso diante de Deus.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

232 -
“Que coisa é a Verdade?” - João, cap. 18.
Leiam o livro A BÍBLIA DOS ESPÍRITAS. Leiam o ponto 231.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

231 -
“Que fizeste tu?” - João, cap. 18.
No capítulo dezoito, de João, as escamoteações textuárias continuam, procurando não só desculpar o assassinato cometido por Caifás, o verdadeiro acusador de Jesus (que traiu até o mesmo Judas, que pretendia esconder a Jesus, até que se fizessem a revolta contra Roma, para depois fazê-Lo rei de Israel), mas até apresentando-o como profeta. Ora, o contrato feito entre Judas e o Sinédrio era o de afastar Jesus, até dar-se a revolta, e revolta que gorou, para de novo, não só libertarem a Jesus, mas fazê-Lo rei de Israel. E quem tramou trair o contrato foi Caifás, porque a intenção de Judas, se fora leviana, apenas leviana fora, ao passo que Caifás fora o verdadeiro acusador, traidor e assassino de Jesus. Que se faça a devida justiça, ainda que tardia, da parte dos homens, considerando que a de Deus sempre esteve acima de cogitações humanas.
A pergunta de Pilatos teria, como terá, da parte de Jesus, esta resposta: “Eu vivi diante do mundo a Moral, o Amor, a Revelação, a Sabedoria e a Virtude. É por isso que me acusam; porque o mundo ainda está muito longe de compreender a minha obra. Eu porém a todos esperarei, de braços abertos, porque a minha obra é de Conhecimento, Renúncia e Perdão, e não de acusação.”

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

230 -
“O Reino de Deus não virá com mostras exteriores” - Lucas, cap. 17.
Por mais que quisessem corromper ou adulterar, como de fato adulteraram, não puderam tirar da boca de Jesus alguma coisa de pura Doutrina Iniciática; e o texto acima fulgura, porque as centelhas divinas, os espíritos, trazem consigo o Reino do Céu em potencial e vão desabrochando através dos mundos e das vidas, dos reinos e das espécies, das condições e das situações.
E Jesus, o Cristo Planetário, o Paradigma da Escalada, veio demonstrar como todos deverão ser. O Evangelho foi e é a vida que Jesus viveu. Para saber, de fato, a vida que viveu, procure cada um exemplificar os Dez Mandamentos. Aquelas cinco palavras que tanto temos repetido, bem que definem a Lei de Deus.
E que ninguém se iluda comprando idolatrias ou exteriorismos, porque diante de Deus somente a Pureza e a Sabedoria é que prevalecem! Porque onde há Verdade e Conhecimento, Certeza e Bondade, o Reino do Céu já está presente.
E assim todos compreenderão o que Jesus proclamou: “O filho do homem veio do Céu e está no Céu.”

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

229 -
“Elias certamente há de vir, e restabelecerá todas as coisas” - Mateus, cap. 17.
João Batista, a reencarnação de Elias, naquela vida ou personagem, morreu carnalmente um ano e meio antes de Jesus; e Jesus só finalizaria a Sua tarefa no Pentecoste, depois da crucificação. Elias, naquela vida, iria restabelecer o que Jesus ainda não tinha estabelecido?
Entretanto, saiba quem quiser:
a - No século quatorze Jesus ordenara a reposição das coisas no lugar;
b - João Huss foi a primeira reencarnação de Elias, acompanhado de muita gente, para iniciar os serviços preliminares da restauração;
c - Lutero fizera, a seguir, o grande serviço de conseguir liberdade de culto e tradução dos textos, para que mais tarde pudesse haver a grande eclosão mediúnica;
d - Volta Elias na personalidade de Kardec, arrastando consigo a grande eclosão mediúnica do século dezenove, tendo feito a Codificação à custa das manifestações espirituais.
E assim estava de novo entre as gentes, a Excelsa Doutrina do Consolador Generalizado, que Jesus deixara, a partir do Pentecoste. Como era a base da Doutrina, assim mesmo continua a ser; porque sem Moral, sem Amor, sem Revelação, sem Sabedoria e sem Virtude, nunca poderá haver o Caminho do Senhor!

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

228 -
“E eu lhes fiz conhecer o teu nome” - João, cap. 17.
Os ignorantes que em Roma, no quarto século, adulteraram os textos, pensavam que todos eram, como eles, desconhecedores da História Iniciática. E puseram na boca de Jesus tais palavras, tais absurdos; porque Jesus tinha um conhecimento profundo das iniciações e do profetismo em geral, sabendo muito bem o que haviam feito os trinta e tantos Budas; o que havia feito Crisna; o que haviam feito os quatro Zoroastros e os quatro Hermes; o que fizeram Apolo e Orfeu; o que haviam feito os Patriarcas de antes do Dilúvio e os do após Dilúvio; e o que haviam feito Moisés e os Profetas de Israel.
Jesus veio consolidar toda a obra verdadeiramente profética das Iniciações Antigas; veio acrescentar o Sentido de Ressurreição Final do espírito, por atingir o Grau Crístico; veio generalizar o Ministério do Consolador ou Espírito Santo, que até então vivia trancafiado nos Cenáculos Esotéricos. Veio viver e deixar essa grandeza imperecível, e não as patacoadas que os corruptores doutrinários andaram Lhe impingindo posteriormente, quando perverteram a Excelsa Doutrina e adulteraram os textos deixados pelos Apóstolos - mais de duzentos escritos ao todo.

Comentar

SrCapitanGenialFabuloso

Publicado há 1516 dias - 0 estrelas

Premiar

227 -
“A fim de que ele dê a vida eterna” - João, cap. 17.
Pelos escritos do capítulo dezessete, afora a Doutrina da Unidade, que era fundamental nas Escolas Iniciáticas da antigüidade, o mais tudo está eivado de enxertos e absurdos, coisas que jamais teriam saído da boca de Jesus.
a - Os mundos e as humanidades existem desde a Eternidade, e Deus nunca deixou de ser Eterno, Perfeito e Imutável; portanto, a contradição de eternidade da vida, e da Justiça Divina, dependem de Deus, de Quem os Cristos são servos e não senhores;
b - Antes de Jesus vir ao mundo, por milhares de anos, os filhos de Deus viveram sobre a Terra, e Deus não lhes era menos Pai; portanto, conforme suas possibilidades de entendimento, viviam suas crenças, e Deus lhes dava segundo as obras;
c - Quando Jesus veio ao mundo, viveu entre os israelitas, cujos sacerdotes e mestres O crucificaram, porque O não reconheceram como o Messias que devia vir, segundo os Profetas; logo, o restante da humanidade, não era menos de Deus, para ficar sem vida eterna, por não ter conhecido a Jesus;
d - Até agora, vinte séculos depois, a maior parte da humanidade não é cristã, pertence a outros credos e filosofias; e ninguém irá dizer que Deus não lhe seja o Pai Divino, o Senhor da Justiça Absoluta, para lhe dar segundo as obras;
e - De tal modo são levianas e contraditórias as palavras que andaram metendo na boca de Jesus, nesse capítulo e em muitos outros, que causam mais males do que bens, aos que não sabem ler com um pouco de lógica; pelo que, convidamos a todos ao estudo livre e sincero, para não tomar como se fossem de Jesus, as asneiras que posteriormente ali andaram incrustando;
f - Acima de tudo, que retornem ao cultivo da Doutrina do Consolador ou Pentecoste, da Revelação generalizada, porque a Palavra de Deus é a Mensageiria Divina, não a letra morta dos textos adulteráveis e de fato adulterados;
g - E que tudo isso se faça para compreender que Jesus, o Cristo Planetário, a Síntese da Verdade, nunca andou dizendo tais asneiras e xaropadas, porque não era clérigo, nem tutor de impérios despóticos e sanguinários, para que a humanidade compreenda, de uma vez por todas, que Ele veio exemplificar a Moral, o Amor, a Revelação, o Saber e a Virtude, porquanto, como Divino Modelo que fora, uma tal Excelsa Doutrina viveria e deixaria, como de fato deixou, com provas sobejas, como podem ser encontradas no Livro dos Atos, capítulos um, dois, sete, dez e dezenove. Para mais informes, vede A BÍBLIA DOS ESPÍRITAS.

Comentar