Descobrir
Comece uma coleção Pesquisar
Poesias para mulheres, como entender a alma feminina.

Mulher... Só Isso.

1 contribuíram 1 estão participando + Informações

Poesias para mulheres, como entender a alma feminina.

participate Deixe de participar Participating
contribute Contribua

sipjaoluis

Publicado há 868 dias - 0 estrelas

Premiar

Não importa que você não fale o que eu tento
descobrir de você e não consigo.
(SEU OLHAR ECONOMIZA PALAVRAS)
beijos no seu coração. LUÍS AUGUSTO DIAS DA SILVA

Comentar
Crie sua coleção de placas

sipjaoluis

Publicado há 868 dias - 0 estrelas

Premiar

Sigo a vida conforme o roteiro, sou quase normal
por fora, pra ninguém desconfiar. Mas por dentro
eu deliro e questiono. Não quero uma vida
pequena, um amor pequeno, um alegria que caiba
dentro da bolsa. Eu quero mais que isso. Quero o
que não vejo. Quero o que não entendo. Quero
muito e quero sem fim. Não cresci pra viver mais
ou menos, nasci com dois pares de asas, vou
aonde eu me levar. Por isso, não me venha com
superfícies, nada raso me satisfaz. Eu quero é o
mergulho. Entrar de roupa e tudo no infinito que é
a vida. E rezar – se ainda acreditar – pra sair
ainda bem melhor do outro lado de lá.

Comentar

sipjaoluis

Publicado há 868 dias - 0 estrelas

Premiar
PRECISO SABER DESLIGAR

PRECISO SABER DESLIGAR
Esqueça o trânsito caótico, a urucubaca política,
o tal balancete no final do ano. Deixe de lado a
cobrança interna, a dívida externa, a tão eterna
dúvida. Viver é assim. Não há como negar. Para
ficar ligado é preciso saber desligar. Fácil? Nem
tanto. Descobrir qual é o seu tempo é tarefa
nobre: exige um grande conhecimento sobre si
mesmo. Portanto, esqueça o relógio. Seu tempo
está dentro de você. Chega de viver com a
ansiedade no colo e o celular na mão. Não deixe
a agenda ocupar ? sem querer - o lugar do
coração. Respeite sua hora. Desacelere. TURN
OFF. Mais do que correr, é preciso saber parar.
Não adianta viver no piloto-automático e deixar
de sorrir. Nem tirar folga e levar uma enorme
culpa dentro da mala. O mundo lá fora exige
produtividade e imediatismo. Aqui dentro, corpo e
alma pedem menos, muito menos. Como fazer,
então, para conciliar tempos tão diferentes? A
resposta não está em livros. Mas dentro de cada
um. Quer tentar? Respire fundo. Desencane.
Perca seu tempo com você!É uma
responsabilidade enorme desconectar-se, eu sei.
Mas vida ao vivo é pra quem tem coragem.
Coragem de arriscar. Cuidado em saber a hora
certa de parar. Difícil? Pode ser. É um exercício
diário que exige confiança e um amor
incondicional por tudo o que somos e
acreditamos. Uma aceitação suave dos próprios
defeitos, um rir de si mesmo, um desaprender
contínuo, um aprender sem fim sobre o que
queremos da vida. Não importa se tudo parecer
errado e o mundo virar a cara para você.
Esqueça. Se esqueça. Hora de se perdoar.
RENASÇA. Eu sei pouca coisa da vida, mas uma
frase eu sigo à risca: é preciso respeitar o próprio
tempo. E eu respeito! Acredito no que diz o
silêncio na hora em que a mente cala. E meu
silêncio - que não é mudo e também escreve -
dita com voz desafiante: confie em si mesma.
Quebre a rigidez. Ouse. Brinque. Viva com mais
leveza. E - por favor - desligue-se. Só assim
você vai transformar vida em letra e letra em
vida. E ter coragem e fôlego pra ser VOCÊ, no
momento em que o mundo te atropelar sem
licença e disser: CHEGOU A HORA!.LUÍS AUGUSTO DIAS DA SILVA

Comentar

sipjaoluis

Publicado há 868 dias - 0 estrelas

Premiar
vida não está ai apenas para ser suportada ou

vida não está ai apenas para ser suportada ou
vivida, mas elaborada.
Eventualmente reprogramada. Consientemente
executada.
Não é preciso realizar nada de espetacular.
Mas que no mínimo seja o máximo que a gente
conseguiu fazer consigo mesmo." LUÍS AUGUSTO DIAS DA SILVA

Comentar

sipjaoluis

Publicado há 868 dias - 0 estrelas

Premiar
SOFRER POR AMOR

SOFRER POR AMOR: LUXO OU LIXO?
Outro dia me perguntaram como se cura dor de
amor. Ah, gente, não sei. Realmente não sei. Me
desculpem. Se existisse fórmula seria fácil. Mas
não tem. E a única coisa que a gente não quer
saber é de fórmulas quando o coração está em
pedaços. Não adianta alguém falar "vai passar"
porque a única resposta que me vem nessas
horas é uma pergunta: QUANDO? E ninguém sabe
o tamanho do tempo e a gente acha que o mundo
acabou, que o amor é marketing, enxerga
qualidades onde a pessoa (aquela ingrata!) não
possui e se vê num questionamento interior que
não tem fim (e muito menos respostas): por quê?
Onde errei? E outras que nem preciso enumerar
porque são sempre as mesmas. Só muda o
objeto do amor e a intensidade do sentimento.
Você pode ter conhecido a pessoa há uma
semana mas tem certeza que é o amor da sua
vida, a razão de tudo, a tampa da sua panela. Ah,
então tá. E as amigas te consolam, a maquiagem
borra e todo mundo come chocolate junto,
enquanto a frase que mais odiamos ecoa no ar
"se o sujeito não te quer é melhor você ficar sem
ele". Ai, hora do choro aumentar! Pra amenizar,
alguém diz que a atual do cara é uma sonsa.
Han? Como assim? Você vai dizer: antes tivesse
me trocado por alguém melhor do que eu! Estou
certa? Pois é. E você sofre. Faz drama. Drama,
não, dramalhão. Afinal você ama aquele filho-da-
mãe de uma figa que deixou seu orgulho ferido e
sua auto-estima no chão. E a gente esquece os
defeitos dele, esquece que ele tem manias
estranhas e esquece também que, no fundo, não
via muito futuro pra vocês dois. Verdade? Não,
nessas horas nada é verdade. Sofrer por amor
cega, dá uma super inspiração e deixa nossas
mães preocupadas, essa é a única verdade. Eu já
tomei pés-na-bunda consideráveis e acho que se
a Jeniffer Aniston pode, quem sou eu pra fugir da
regra. Já me disseram NÃO e nem por isso sou
menos inteligente, menos legal, menos louca,
menos linda, menos tudo, menos nada. A única
coisa que tenho certeza é que eu NÃO ERA a
pessoa certa pra aquele cara. Pelo menos
naquele momento. Olha que simples. E sem
aquela teoria furada de que o moço tem medo,
algum trauma de infância e signo complicado.
Quando a gente quer de verdade - meninas,
acordem! - a gente vai até o inferno, desfaz
casamentos, paga pra ver, apela para a
baranguice e canta "Baby, come back" debaixo da
janela. Porque o amor é brega. E disso ninguém
escapa. Então, vamos aproveitar nosso minuto de
lucidez (enquanto não caímos na teia do amor de
novo) e aprender de uma vez por todas: não é
pra gente se achar um lixo quando um amor
acaba. Não é pra gente imaginar que a atual do
seu ex é perfeita (acredite: elas nunca são). E
definitivamente não é pra gente confundir orgulho
ferido com amor. Afinal a gente não vai amar
uma pessoa que não ama a gente. E ponto. p.s: o
sofrimento é inevitável, mas o luxo é opcional
LUÍS AUGUSTO DIAS DA SILVA

Comentar